© Todos direitos reservados 2013
GS&Midia
História da Cidade de Santa Gertrudes. Em   18   de   junho   de   1821,   o   Brigadeiro   Manoel   Rodrigues   Jordão   e   a   sua   esposa   Dona   Gertrudes   Galvão   de   Oliveira   Lacerda   adquiriram   a   gleba   "Laranja Azeda",   parte   da   Sesmaria   do   Morro   Azul.   Com   a   morte   de   Dona   Gertrudes,   a   gleba   foi   passada   ai   filho,   Sr.   Amador   Rodrigues   de   Lacerda   Jordão   -   Barão   de São João do Rio Claro em 1848. Nela   formou-se   em   1854   uma   fazenda   de   açucar   a   café,   a   Fazenda   Santa   Gertrudes,   em   1866,   ergueu-se   a   capela   de   Santa   Gertrudes   na   fazenda.   Em   1876, construiu-se   a   estação   de   Gramado   nas   proximidades   da   Fazenda   para   atender   à   passagem   da   ferrovia   e   ao   redor   dela   desenvolveu-se   um   povoado.   Em   1898, restaurou-se a capela com altar totalmente trabalhado em madeira. No   ano   de   20   de   fevereiro   de   1900   a   capela   foi   agregada   à   Santa   Basílica   Lataratense   de   Roma   recebendo   as   indulgências   do   Papa   Leão   XII. A   instalação   da rede   elétrica   no   povoado   de   Gramado   (em   13   de   abril   de   1908)   autorizada   pela   Câmara   Municipal   de   Rio   Claro   -   projeto   de   Lei   da   autoridade   do   vereador representante do povoado o Sr. Amâncio de Araújo Lima acelerou o seu crescimento. Em   29   de   setembro   de   1918,   instalou-se   o   Distrito   da   Paz   de   Santa   Gertrudes   (Lei   nº   1527   de   24   de   dezembro   de   1916).   Em   1925   é   construída   pela   cúria   a Igreja   de   São   Joaquim,   padroeiro   do   distrito,   em   terreno   doado   por   Joaquim   Raphael   da   Rocha. A   Lei   nº   233   de   24   de   dezembro   de   1948   eleva   o   Distrito   de   Paz de   Santa   Gertrudes   a   categoria   de   município   independente   de   Rio   Claro. Aos   13   de   março   de   1949   realiza-se   a   primeira   eleição   sendo   Oscar   Raphael   da   Rocha nomeado a prefeito. Ainda   neste   ano,   remodelou-se   o   jardim   público,   construiu-se   a   prefeitura   e   criou-se   o   serviço   de   abastecimento   de   água. A   Lei   nº   413   de   12   de   junho   de   1967 regulamenta a comemoração do dia do município que fica sendo em 16 de agosto. Aspectos Econômicos Inicialmente calcada na lavoura cafeeria, a economia atual sustenta-se na Indústria Cerâmica que se desenvolveu partindo da produção de telhas e tijolos. Um   dos   maiores   pólos   cerâmicos   das Américas,   a   cidade   de   Santa   Gertrudes   responde   hoje   por   um   terço   (1/3)   da   produção   nacional   de   pisos   e   revestimentos cerâmicos. Tecnologia de ponta, aprimoramento constante na produção e mão-de-obra, investimentos colocam Santa Gertrudes em destaque no plano internacional. Constrastando   com   as   tecnologias   avançadas   das   indústrias   de   pisos   e   revestimentos,   não   menos   importante   e   primorosa   é   a   cerâmica   artesanal   com   seus tornos e fornos de tijolos à lenha. A produção dos artesãos do barro tem atraído compradores de diferentes pontos do país e do exterior via internet. As atividades destes dois tipos de indústria está abrindo e fazendo crescer um canal que trará inúmeros benefícios ao município: o Turismo Comercial. A   atividade   artesanal   estende-se   a   outros   tipos   de   trabalho.   Cerca   de   16   artesãos   locais   produzem   peças   biscuit,   velas   e   frutas   decorativas,   sabonetes,   arte   em jornal, pinturam em tecido, tela, cerâmica e madeira, mosaico, peças em gesso, embalagens, doces parafinados, etc... Fonte: Site oficial da Prefeitura Municipal da Cidade de Santa Gertrudes: http://www.santagertrudes.sp.gov.br/historia.htm